sexta-feira, 5 de outubro de 2012

COMPOSIÇÃO

Verso! Livremente te faço livre.
Não me livro de te limar;
não me livro de te retocar.
Aqui uma vírgula, ali um ponto.
Suprimo, acresço palavra ou verso
dentro do todo, todo dia.
Dou-te forma linear, ando em curva
e faço círculo, não defino geometria,
não me ligo em forçosa harmonia.
Dou-te métrica, rima ou deixo em branco,
recorto ou não dou nada
de estética, mas algo de sangue,
da alma e da mente,
que encontro latente ou que invento.
Tens de mim e tens do outro
elogios, zangas, alegrias e taras,
sonhos, projetos, frustrações
e até alguma doutrinação.
Sem sistemática, com e sem tema
és uma teima no meu dia.
Na busca obsessiva da música
ensaio e me perco no contexto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário